2012-11-28

Contagem decrescente...

Os dias a passar e eu a aguardar.
Estou feliz, ansiosa, receosa, nervosa (tantas coisas por osa).
Começo na segunda, aqui. Já fui muito feliz neste lugar, onde nasce música, onde há sempre alguém a tocar uma guitarra, um cavaquinho.... é uma delicia trabalhar num lugar assim.
Quero lá ser feliz de novo. Tenho medo confesso, mas vou lutar... e na luta, bem, na luta ando eu há muito tempo e não me tenho saído mal! Simplesmente porque acredito nos dias melhores, acredito que posso contribuir para um mundo mais feliz e para a felicidade dos que me rodeiam.
Acredito e por muito que custe vou continuar a acreditar.

2012-11-26

Mais um primeiro dia do resto da nossa vida

Primeiros dias do resto da nossa vida são muitos e hão-de vir mais. Gostamos dos primeiros dias. São dias e mudança, de crescimento. São dias positivos.
Fomos levar a miúda à creche. Esteve só umas horas de manhã e repetirá todos os dias esta semana. Fazer a adaptação dos novos dias.
Esteve comigo um ano. Um ano inteiro dela. Até "se me dão" umas lágrimas nos olhos...
Assim, sem aviso, chegou-nos uma bela oportunidade de trabalho.
Vou voltar à vida de trabalho fora de casa. Estou muito feliz por isso.
Adoro ser mãe e adoro todos os momentos que passamos juntos. Valorizo todos os momentos como únicos e irrecuperáveis, porque são!
Confesso que esta volta ao trabalho está a deixar-me muito feliz. Precisava voltar a uma vida mais activa, mais social e principalmente mais remunerada!
Se me vai fazer falta o tempo com os miúdos? Sim, tenho certeza que sim, mas vamos superar tudo com distinção!
A creche da miúda é fantástica. O ATL do miúdo também.
Ela vai estranhar. Ele também. As reclamações já começaram e ainda nem começou a frequentar o ATL!! Normal nele.
Vamos a mais um primeiro dia do resto da nossa vida e vamos muito bem.


2012-11-22

Quase 1

Faz hoje um ano era terça-feira e eu andava pelo corredor do 2º piso da maternidade Bissaya Barreto com o soro atrás de mim, como quem caminha para o abismo! Os nervos e a ansiedade eram tantos que me sentia mal!
Estranho não é?! Afinal era só a minha filha que estava prestes a nascer! Pois, mas estava a caminho duma cesariana e entre nervos, ansiedades e medos não fiquei com uma boa recordação da coisa!
A cesariana... bem, é um método cirúrgico de trazes crianças ao mundo. Não gostei, fiquei péssima depois. Não vou alongar-me sobre isto, porque não quero, mas prefiro o parto natural, sem dúvidas.
A miúda nasceu no dia 23, depois de passar o dia inteiro sem saber se fazia ou não a cesariana e com medo do dia seguinte, por ser dia de greve geral! Lá pedi MUITO ao meu médico que não me deixasse e ele, fabuloso como só ele, atendeu as minhas preces e a minha filha nasceu.
Chorei tanto, baba e ranho. Depois de uma gravidez complicada, cheia de peripécias, um parto estranho... olhei para ela e vi-me ali. Um torrãozinho de gente, linda, linda, linda e cabeluda como até já tinha sonhado!
Quando finalmente consegui me levantar e pegar nela ao colo, aconchegá-la em mim, cheira-la como só ela cheira... fez-se música no meu coração, na minha mente.
É sempre assim comigo, não consigo controlar! Não sei quanto tempo estive com ela nos braços a cantarolar sem sequer me aperceber. Foi uma enfermeira que me chamou para o facto! Estava a cantar Bob Marley à minha filha e a senhora ficou muito admirada. Também eu!
Sei lá, há coisas que não conseguimos explicar.
Somos dela e ela é nossa e sim, parece que foi ontem.



2012-11-19

Um dia bom

Hoje foi. Outros virão!
Yes i can!!!

2012-11-08

Mulher

Uma mulher (do latim mulier) é um ser humano adulto do sexo feminino. (wikipédia)

Mulher. Há já algum tempo que me acho mais mulher. Assim, mais crescida, mais resolvida... mais eu!
Este fim-de-semana olhava para uma amiga e achei-a mais mulher. Mais bonita, mais perfeita, mais feliz, mais feminina, mais mãe, mais ela.
Esta coisa da maternidade tem assim um efeito luminoso nas mulheres. Certo é que o cansaço é muito, que a adaptação nem sempre é fácil, mas há um efeito luminoso nas mulheres... que me perdoem as que ainda não são mães, mas a maternidade faz-nos mais mulheres! E só pode, senão vejamos...
Andamos 40 semanas completamente transtornadas com as hormonas, 40 semanas a gerar uma vida dentro de nós. Nem me vou alargar porque 40 semanas de uma gravidez dá muito que dizer! 
Depois parimos. Todo o processo de parir um filho é outra coisa assim muito para além de tudo aquilo que alguma vez podemos imaginar.
Depois amamentamos e a amamentação é outro caderno de encargos de extensa descrição!
Para além de tudo isto AMAMOS. Desde o momento que sabemos que temos uma vida dentro de nós, amamos como nunca antes. Quando os nossos filhos nos chegam aos braços, amamos como nunca antes e ali sabemos que nunca mais seremos as mesmas.
Sou fã de todas as mulheres. Todas, sendo mães ou não. A mulher é um ser magnifico.
Não amasse tanto o meu marido e ainda arranjava uma mulher para mim!
Será que os homens sabem a sorte que têm?
eXTReMe Tracker