2006-06-07

Inevitavelmente - Jorge Palma

Com Uma Viagem Na Palma da Mão Agarras-te à hora Em que o tempo não passou Mergulhas nas cores Que a loucura te emprestou E quando te vês para lá do espelho Encontras a solidão Descobres o Mundo De quem tem pouco a perder E sobes às estrelas Que ontem não podias ver E perdes o medo de estar só No meio do multidão Tradições Atrás de contradições Fizeram-te abrir os olhos Podes dizer: Eu... sou

2 comentários:

Maçã de Junho disse...

Belo poema este, do primeiro álbum do Jorge, em 1975.
Toda a sua agenda artística actualizada em www.jorgepalma.pt.vu
newsletter:contactar ladoerradodanoite@hotmail.com

tiniha disse...

"Agarras-te à hora
Em que o tempo não passou
Mergulhas nas cores
Que a loucura te emprestou
E quando te vês para lá do espelho
Encontras a solidão..." hoje deu-me para isto, tirar as frases e identificar-me um pouquinho com elas; e aqui está uma das muitas verdades que assola os nossos dias... em que muitas vezes aõ queriamos que o tempo passasse, e que mesmo rodeados de gente, nos sentimos na solidão... ele há dias assim... jinhos

eXTReMe Tracker