2006-11-30

Desenhos

A Karoxinha enviou-me estes desenhos que acho fantásticos

2006-11-29

Caso Camarate:
José Esteves detido pela PJ e a depor no TIC
José Esteves, antigo segurança e um dos nomes ligado ao Caso Camarate, foi esta terça-feira detido pela Polícia Judiciária (PJ) e encontra-se a depor no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa (TIC), soube a agência Lusa de fonte policial.
A mesma fonte indicou que José Esteves foi detido por elementos da Direcção Central de Combate ao Banditismo (DCCB) da PJ.
José Esteves encontra-se nas instalações do TIC, desconhecendo-se os motivos. A DCCB é uma direcção da PJ que investiga crimes como tráfico de seres humanos, auxílio à imigração ilegal, raptos, sequestros, entre outros.
Numa entrevista à revista Focus, a publicar quarta-feira, José Esteves assume ser o autor de um engenho que fez explodir a aeronave Cessna onde seguiam o então primeiro-ministro português Francisco Sá Carneiro, a sua mulher Snu Abcassis, o chefe de gabinete António Patrício Gouveia, e o ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa, assim como os dois pilotos do aparelho, a 4 de Dezembro de 1980.
Diário Digital / Lusa
(Tenho imensa curiosidade de saber como vai ser este desfecho... )

2006-11-27

Acordo precário

O colo já é escasso… Elas chegaram a um acordo! (Num acordo muito precário, lá vão partilhando o espaço à minha volta ou a réstia de colo que ainda dou. Não suportam estar muito próximas, uma arranha, a outra morde e não é bonito de se ver! Raramente abrem excepção à constante e velha guerra, mas desta vez estão a aguentar-se! A bem do futuro, digo eu!)

2006-11-22

Let's go out tonight

A caminho das 35 semanas... Ouço a Six Feet Under Soundtrack... é deliciosa. A músia do momento:
Where the cars go by,
All the day and night,
Why don't you say,
What's so wrong tonight?
Pray for me,
Praying for the light,
Baby baby,
Let's go out tonight.
Where the lights all shine,
Like I knew they would,
Be mine all mine,
Baby I'll be good.
Pray for me,
Praying for the light,
Baby baby,
Let's go out tonight.
I know a place,
Where everything's alright,
Alright,
Let's go out tonight.
Where the cars go by,
All the day and night,
Why don't you say,
What's so wrong tonight.
I pray for love,
Coming out alright, yeah,
Oh baby baby,
Let's go out tonight, yeah.
Baby baby,
Let's go out tonight,
Let's go out tonight.
Tonight, Tonight,
Let's go out tonight, Yeah,
Where the cars go by,
Where the lights won't shine,
..., Tonight.

2006-11-20

Horóscopo chinês

Deu-me para isto!...
Até descobri que 2006 é, está a ser, o meu ano!!
Ninguém diria!
Cá fica o meu horóscopo chinês:
"A mulher Cabra As nativas do signo da cabra estão entre as mulheres mais atractivas e mais femininas no mundo. Podem ser mais ou mais menos bonitas, mas a beleza de muitas delas é incomparável. Todas são sedutoras extremas. Mesmo as mais simples são cheias de graça, distinção e elegância. Há sempre algo de misterioso sobre a fêmea típica da cabra. Os seus gestos são hesitantes, incompletos, como se estivesse receosa que um movimento decisivo a projectaria brutalmente na crua realidade do mundo. Gosta também de deixar - quase tudo que faz - inacabado, fornecendo a abundância para a suposição e imaginação. Muito do seu tipo de encanto particular reside inquestionavelmente na sua indecisão e imprecisão. A face desta mulher representa uma oval perfeita do mais puro projecto de design. Pode frequentemente reconhecê-la pelos seus definidos ossos do rosto, rosada e de nariz bem delineado. A boca é geralmente muito pequena, um tanto perdida entre as outras partes da cara. Os olhos são um dos dois ou três elementos físicos que esclarecem principalmente o seu poder de fascínio: Amêndoados na forma, poderiam, pela sua profundidade estranha de olhar, prender a respiração de qualquer pessoa. A voz, macia e um pouco rouca, exerce um encanto indefinido; seria impossível permanecer insensível a ela, porque há um tipo de música encantada nas palavras a nativa expressa."
Estou maravilhada comigo mesma, sou fantástica!

2006-11-14

Estou...

Madredeus ...

Lá de fora Um sol brilhante, uma risada distante Vieram lá de fora, de um outro planeta Sem pedir licença, entraram p’la minha janela E agitaram a chama, que estava quieta E de repente estoiram cristais, na nossa alma Alucinam e vão viajar, com muita calma Por corredores com portas, cada porta sua chave Cada chave sua sala, casa viva, sótão, cave. Lá de fora vêm, por vezes vidas diferentes Que não morrem cá dentro Nos tornam irreverentes São o espírito alegre De certo vinho que eu gosto São velas içadas ao vento São lupas para o pensamento São velas içadas ao vento São lupas para o pensamento Letra e música de Carlos Maria Trindade

2006-11-11

Quentinhas e boas!

O homem das castanhas Na Praça da Figueira, ou no Jardim da Estrela, num fogareiro aceso é que ele arde. Ao canto do Outono, à esquina do Inverno, o homem das castanhas é eterno. Não tem eira nem beira, nem guarida, e apregoa como um desafio. É um cartucho pardo a sua vida, e, se não mata a fome, mata o frio. Um carro que se empurra, um chapéu esburacado, no peito uma castanha que não arde. Tem a chuva nos olhos e tem o ar cansado, o homem que apregoa ao fim da tarde. Ao pé dum candeeiro acaba o dia, voz rouca com o travo da pobreza. Apregoa pedaços de alegria, e à noite vai dormir com a tristeza. Quem quer quentes e boas, quentinhas? A estalarem cinzentas, na brasa. Quem quer quentes e boas, quentinhas? Quem compra leva mais calor p'ra casa. A mágoa que transporta a miséria ambulante, passeia na cidade o dia inteiro. É como se empurrasse o Outono diante; é como se empurrasse o nevoeiro. Quem sabe a desventura do seu fado? Quem olha para o homem das castanhas? Nunca ninguém pensou que ali ao lado ardem no fogareiro dores tamanhas. Quem quer quentes e boas, quentinhas? A estalarem cinzentas, na brasa. Quem quer quentes e boas, quentinhas? Quem compra leva mais amor p'ra casa. Letra: Ary dos Santos Música: Paulo de Carvalho

2006-11-08

Mais de mim...

Muito cedo despertou em mim o dito relógio biológico, o querer ter um filho. Um dia acordei e lá estava ele, a emocionar-me e a levar-me ás lágrimas com cada criança que me sorria. Não sei muito bem como e porque é que despertei tão cedo para a maternidade, mas a verdade é que aconteceu sem esperar e perdurou por vários anos até ao dia de hoje, onde continuo a aguardar com grande expectativa o dia que serei mãe. No núcleo de amigas de escola (os anos que já lá vão) não existem mães, embora já exista um pai! Ainda só uma amiga, despertou para a maternidade, também acordou um dia com o relógio a badalar! As outras estão mais na onda de serem “tias”! O que é bom! (…) Nunca imaginei que a gravidez fosse um estado tão absorvente e contraditório. A minha experiência (a um mês do fim) tem sido de uma intensidade extraordinária. Já me aconteceram alguns percalços, tensão alta, tromboses hemorroidais, com direito a cirurgia e tudo (o que não desejo a ninguém, porque provoca dores excruciantes), deslocamento de placenta, tensão baixa… percalços, que no meio da confusão até os vejo como normais! Digo confusão porque emocionalmente me sinto completamente confusa! - É a criança que mexe, e se mexe é porque não pára de se mexer e penso, mas porque é que mexe tanto?! - É a criança que não mexe e se não mexe, penso, mas porque é que não se mexe?! - São as dores nas costas, nas penas, no peito! É a azia, maldita da azia! São as lágrimas, são os risos… é o marido, os animais, a mãe, a sogra, a irmã, os amigos, os vizinhos, o dia, a noite… são as luas, é o sol e a chuva… – é tudo tão confuso, tão intenso, tão emocionalmente intenso. Nunca fiz filmes mentais “vai ser assim, vai ser assado” e talvez até por isso me sinta tão fragilizada… Penso que a maioria das mulheres (pelo menos as que conheço e que já são mães) não dizem o que realmente passam/sentem durante a gravidez. Claro que cada mulher é diferente, mas este estado é muito semelhante para todas e por isso penso que nas conversas femininas que tive, ficou muito por dizer sobre este tema. Tenho procurado a tranquilidade e a paz para me harmonizar com o ambiente e com o meu filho. Julgo que tenho conseguido, mas por esta altura do campeonato já começam a escassear as energias… a expectativa é muito grande e o tempo parece que avança a conta gotas.
A inquietude que existe em mim começa a não querer ficar quieta e é cada vez mais difícil…
Ok, um dia de cada vez.

2006-11-07

Frágil

Põe-me o braço no ombro Eu preciso de alguém Dou-mecom toda a gente E não me dou a ninguém Frágil Sinto-me frágil Faz-me um sinal qualquer Se me vires falar de mais Eu às vezes embarco Em conversas banais Frágil Eu sinto-me frágil Frágil Esta noite estou tão frágil Frágil Já nem consigo ser ágil Está a saber-me mal Este whisky de malte Adorava estar in Mas estou-me a sentir out Frágil Eu sinto-me frágil Acompanha-me a casa Já não aguento mais Deposita na cama Os meus restos mortais Frágil Eu sinto-me frágil Jorge Palma

2006-11-03

Destino de Aventureiro

O destino de aventureiro É seu nome num grafite de banheiro Coração tatuado em marinheiro Um recado escrito no dinheiro Qualquer barco que passa me acena Com uma fuga, ao invés de um poema Não sei em que cidade mora a morte Sou amante da sorte Cada garça que voa me faz chorar Pra onde é que ela vai? Qual será o seu lugar? Lembra dois vilaretes de Bagdá Onde jamais estive, mas não canso de sonhar Ventanias e ardentes tufões Juras de amor e palavrões Uma arena cheia de leões, palácios e prisões De repente se instala em Paris Apaixonado, é o que eu sempre quis Ser o favorito de alguém, dança do ventre num harém Cada garça que voa me faz chorar Pra onde é que ela vai? Qual será o seu lugar? Lembra dois vilaretes de Bagdá Onde jamais estive, mas não canso de sonhar Sonhei um destino demais E sei que vou tê-la aos meus pés Sonhei Ney Matogrosso Gosto mesmo deste homem, é lindo, fantástico e canta que encanta! Tem letras e músicas fabulosas, extraordinárias. Esta é a música do dia de hoje. Aconselho vivamente a audição desta e de outras músicas dele.

2006-11-02

Leituras...

Para adquirir brevemente!
eXTReMe Tracker